domingo, 18 de novembro de 2012

Homem das cavernas x caverna de homem


Karen Hofstetter é uma artista brasileira descendente de suíços, radicada há alguns anos em Berlim onde desenvolve uma bem sucedida carreira como ilustradora e designer gráfica. A maior parte de seus trabalhos revela um toque inconfundivelmente feminino, com tons pastel, estampas delicadas e letras desenhadas à mão. É natural que assim seja, até porque a maioria de seus clientes é formada por empresas que têm nas mulheres o seu público alvo preferencial.

Exatamente por ser uma pessoa antenada com as motivações do público, Karen é também uma artista versátil. Um bom exemplo disso é o poster que criou para o novíssimo portal The Collection Room, uma peça que reflete com rara sensibilidade o que se passa nas profundezas da alma masculina. Principalmente quando aquele que a contempla vem a ser um aficionado por automóveis clássicos.


O título desse poster - em português, "o lar de um homem é o seu castelo, mas a garagem é o seu santuário" - é uma adaptação de um antiquíssimo provérbio inglês que fazia referência apenas ao lar e ao castelo, já que não havia garagens nem automóveis na época em que surgiu. Em seu sentido original, afirmava a soberania do homem comum sobre o seu espaço de moradia, onde nem o rei poderia entrar sem o seu consentimento.

Ao acrescentar a garagem à frase, e ao equipará-la a um santuário, a versão do poster promove uma sutil mudança de foco: se as áreas comuns do lar já não garantem mais a tranquilidade e a privacidade de seu proprietário, a garagem passa a ser o seu último reduto. Não precisa ser uma garagem no sentido literal do termo - qualquer cantinho dentro de casa serve, contanto que esteja sob jurisdição masculina. Há até um nome para isso na literatura psicológica recente: caverna de homem.

Mas é bom não confundir caverna de homem com homem das cavernas, porque como se vê o poster de Karen Hofstetter é um paradigma de urbanidade civilizada. Com sua linguagem gráfica  sóbria e de um bom gosto irretocável, ficaria bem num daqueles gentlemen's clubs londrinos com sofás chesterfield e tapetes orientais onde a conversa flui em tons amenos com o acompanhamento de um habano ou um cálice de jerez. E ficaria ainda melhor numa garagem em estilo vitoriano onde repousa um Jaguar E-type ou um Bentley da década de 1920 entre latões de Castrol e uma bem fornida bancada de ferramentas.

Isso, bem entendido, num mundo ideal. No mundo real, esse poster pode ser exposto com igual satisfação em qualquer outro lugar. Se for numa caverna de homem, melhor ainda.

Serviço: Karen Hofstetter Goodies & Design  (http://www.karenhofstetter.com);  The Collection Room (http://signup.thecollectionroom.com


9 comentários:

MMozart disse...

Garota sábia! É a mais pura verdade, mas triste, pois estou sem caverna. Quem sabe ano q vem. Abs!

Rui Amaral Jr disse...

Paulo, seu texto me fez lembrar um livro de A.J. Cronin que li na adolescência, não lembro o titulo, mas ao final, acredito que o personagem principal, um médico, olhava as nuvens e elas formavam um castelo!
Belo poster.

Um abraço

Luís Augusto disse...

Rui, o livro se chama "A Cidadela", um clássico. PL, lindo poster! Deu vontade de copiar e colocar aqui na minha garagem. Só ficariam faltando os Bentleys e Jags!

Ron Groo disse...

Texto sublime.
Eu estou sem santuário, mas também... Vou dizer viu, como eu tratava mal as relíquias que ficavam neste santuário.

Karen Hofstetter disse...

O poster está a venda neste site: http://society6.com/KarenHofstetter/Mans-Talk_Framed-Print#12=60

Obrigada pelo texto, Paulo! É uma honra estar aqui! Beijos!

Luís Augusto disse...

Obrigado pela informação, Karen!

Francisco J.Pellegrino disse...

Muito boa a criação da Karen, parabéns. Tenho o meu cantinho onde posso privar destas amizades boas e tenho tb as garagens, mas me poupo de ter vários carros e não poder usufruir por falta absoluta de tempo......e dinheiro.

Paulo Levi disse...

Agradeço a todos pelos comentários, e principalmente à Karen por ter criado esse belíssimo poster. E também por ter me dado a oportunidade de pesquisar o conceito da "caverna de homem", que eu desconhecia até então.

Joel Gayeski disse...

Sensacional!
Ainda terei meu santuário...