quinta-feira, 21 de junho de 2012

Nürburgring no retrovisor

Para encerrar a cobertura do Eifelrennen, e com ela toda a série de matérias postadas da Alemanha nestas últimas semanas, pensei em fazer um resumo do evento e acrescentar uma espécie de guia de viagem. Mas logo desisti da idéia. Um post assim ficaria muito carregado de texto, ou seja, chato. Melhor deixar que as imagens se encarreguem desse resumo, com as palavras no papel de simples coadjuvantes.

Nürburgring fica a menos de uma hora de carro de Colônia, ou pouco mais de duas horas de Frankfurt. O caminho passa por aldeias pitorescas como a que vemos abaixo.


Já anoitecia quando cheguei. Mas os últimos raios do dia ainda permitiam admirar o majestoso castelo de Nürburg. E também os carros clássicos que podiam ser vistos em todos os cantos da cidadezinha.



Jantei (muito bem, por sinal) no restaurante Pistenklause, que funciona anexo ao hotel onde fiquei hospedado, o Am Tiergarten. Esse pequeno hotel, um dos mais tradicionais de Nürburg, pertence à família da conhecidíssima piloto Sabine Schmitz, conhecedora exímia do 'Ring e participante assídua do programa Top Gear. Numa localidade que vive em função do automobilismo desde 1927, poucos estabelecimentos tem tanta história para contar.



No dia seguinte, tomo o café da manhã no hotel. Mas o que é aquela faixa com os dizeres "Save the Ring" pendurada na fachada?


Entro no carro e programo o GPS para ir ao circuito. Minutos depois, avisto um imenso shopping e o GPS me informa que aquele é o local de destino. Acho estranho, mas mesmo assim entro na garagem e estaciono.


Logo, descubro que não se trata de um shopping, mas sim do portal de acesso ao complexo do Nürburgring. Um edifício de proporções gigantescas abrigando lojas de roupas e souvenires, showrooms de fabricantes de pneus, cinemas, pistas de kart indoor e salas de videogames, além de grande número de barraquinhas vendendo desde bonés e camisetas a livros e chaveiros.

Não consigo evitar que a palavra "camelódromo" me passe pela cabeça. Nem a expressão "elefante branco", já que há grandes espaços vazios no interior do prédio. E aí começo a entender o significado daquele apelo na fachada do hotel. Essa monstruosidade de concreto e vidro, construída em 2009, é uma completa afronta ao espírito do Nürburgring. Não só por razões de porte e estética, mas também pela determinação da empresa concessionária em transformar o local num grande parque temático voltado ao entretenimento de massas. Previsivelmente, o empreendimento acumula déficits e depende de frequentes aportes de dinheiro público. Não admira que tenha tantos opositores, na Alemanha e fora dela.

Galaxie '59, um paradigma de sobriedade diante do novo Nürburgring
Ainda impactado pelo contraste entre o Nürburgring atual e aquele que conheci 43 anos atrás, caminho por toda a extensão do chamado Ring Boulevard para chegar a uma das imensas (e quase vazias) arquibancadas. Como estamos no primeiro dia do evento, que é dedicado aos treinos livres, o que se vê na pista é uma salada completa, daquelas que se via em Interlagos no início dos anos 70.


Decido dar uma passada pelo paddock para ver o que há de interessante por lá. Depois de mais uma longa caminhada, sou recompensado pela visão de verdadeiras maravilhas automotivas. Se a minha ida a Nürburgring tivesse se limitado a uma visita ao paddock, já teria valido à pena.




Chega o sábado, e com ele as primeiras competições do evento. As motos e os sidecars abrem os trabalhos. Depois vêm os carros da categoria CanAm, vencida com facilidade pelo italiano Michele Liguori. Liguori, que é dono de um escritório de advocacia em Nápoles, ganha dinheiro defendendo os interesses de seus clientes para depois ganhar corridas ao volante de seu Lola T292 Cosworth. É uma boa causa, eu diria.


De tarde, faltando uma hora para a prova principal, o trecho de pista em frente aos boxes é liberado ao público. Todos, inclusive crianças e animais de estimação, passeiam tranquilamente em meio aos carros alinhados no grid. Até que, uns quinze minutos antes da largada, os fiscais de pista tocam todo mundo para fora com uma objetividade tipicamente germânica.


 "Fora, espectadores".  Mais objetivo que isso, impossível.
Dada a largada, uma coisa fica evidente: como essa é a única corrida do programa disputada num traçado que combina o circuito de GPs com uma parte do Nordschleife, assisti-la da reta dos boxes se torna uma experiência enfadonha, já que os carros passam a intervalos muito espaçados. Então, o melhor é seguir direto para o Nordschleife. Mas ali também, as coisas não são tão simples assim. Se você não é um habitué de Nürburgring nem conhece alguém que possa servir de cicerone, terá dificultade para encontrar um bom ponto de observação, já que os acessos são rigidamente controlados e nem sempre estão indicados de forma clara, principalmente para quem não domina o idioma alemão.


Por conta disso, voltei da Alemanha sem ter conseguido dar mais do que uma olhada de relance no sanctum sanctorum do automobilismo de alta performance, o venerado Nordschleife. Falha minha: eu deveria ter agendado ao menos uma volta pelo circuito a bordo de um dos Ring Taxis da BMW, com um piloto profissional ao volante. Ou então algum outro serviço do gênero, como o da Aston Martin com o seu Vantage Copilot-Fahrten.


Os interessados têm ainda a possibilidade de contratar a já citada Sabine Schmitz para uma voltinha no Porsche GT3 de sua equipe atual, a Frikadelli Racing Team. Naturalmente, a lista de espera e o preço da "corrida" (cerca de 600 euros) são diretamente proporcionais ao talento da moça e ao seu status de celebridade.


Agora, se esse sujeito aí embaixo aparecer oferecendo serviços de ring taxi, muito cuidado - é pirata. 


Imagem Sabine Schmitz: www.auto-mania.cz
Outras imagens: arquivo pessoal do autor. Reprodução permitida mediante atribuição a este blog

13 comentários:

Belair disse...

Que carro e' esse PL?Um Trabant?Como e' que voce entrou nisso?

Ron Groo disse...

Pirata? Eu achei que era o Sean Connery!

Mas me diz uma coisa... É possível visitar o castelo?

Deve-se ter uma vista linda do Green Hell de lá.

Paulo Levi disse...

Belair,
Acertou na mosca, é um Trabant. A foto foi feita em Berlim durante um programinha turístico muito recomendável chamado Trabi-Safari. Na verdade, eu não dirigi o carro - estou só fazendo pose.

Paulo Levi disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Paulo Levi disse...

Groo,
O Sean Connery andava de Aston Martin, eu ando de Trabi. E estamos quites...rs.

Não visitei o castelo, mas dá pra visitar sim. Tem alguns vídeos no YouTube mostrando a vista lá de cima. É linda, mas pelo jeito só dá pra ver uma das retas do circuito. E sem binóculos, nada feito.

Joel Gayeski disse...

Paulo, tu parece o Bruno Sacco!

Esse é o tipo de viagem que ainda farei, ir pra Alemanha por motivos autoentusiastas.

Francisco J.Pellegrino disse...

PL, muito bom o relato de toda a viagem, queremos mais !

Felipe Mortara disse...

Que post divertido. Que vontade de conhecer este lugar. Nunca imaginei ver carros que eu só veria nas aventuras de Tintin andando em pleno ano de 2012. O mundo não vai acabar. Mas, por via das dúvidas, não aceito subir no carro desse cara aí da foto.

Anônimo disse...

Muito legal Paulo, ótimo relato, é um dos poucos que conseguem de fato resgatar o espírito de Nurb através de fotos e palavras, e não ficar no clichê "Porsche/a volta completa consome tanto tempo...etc, e etc"....

Vou ler novamente, apreciar as fotos; tudo incentivando para ligar o GT5 e andar virtualmente em Nurb de...Porsche (rs)

Até mais!

MFF

Paulo Levi disse...

Joel,
Eu queria mesmo era ter um milésimo do talento do Bruno Sacco...

Faça essa viagem sim, é altamente recomendável. Fora esses lugares e eventos que eu visitei, tem muitos outros que vale à pena conhecer. Inclusive em países limítrofes, mas a poucos quilometros da fronteira com a Alemanha.

Paulo Levi disse...

Francisco, Felipe e MFF: obrigado pelos comentários, fico feliz que vocês tenham gostado.

MFF: bom rever você por aqui, volte sempre!

Juanh disse...

Hermosa serie de entradas sobre Nurburgring; antes estaba enamorado del circuito, ahora también de los pueblos cercanos.
Muy buen blog, ya lo estoy siguiendo, y agregué en el mío como "blog amigo".
Abrazos!
http://juanhracingteam.blogspot.com.ar/

Paulo Levi disse...

Bienvenido Juan, me alegro que te haya gustado lo que leiste aqui! Es un placer tambien para mi añadir a Juanhracingteam en mi lista de blogs recomendados.

Abrazos,
Paulo