quarta-feira, 13 de junho de 2012

Em Nürburgring, os anões duelam e os elefantes voam

Por motivos que eu não saberia explicar, os alemães tem verdadeira fascinação pela palavra Faszination. É quase impossível ler um texto publicitário ou promocional sem dar de cara com ela ou suas formas correlatas.

Pois bem, uma das coisas mais faszinierend que vi em Nürburgring foi o contraste entre duas categorias, ambas apelidadas de maneira bastante apropriada: a Kampf der Zwerge (duelo entre anões), e a Elefantenrennen (corrida dos elefantes). A primeira era formada pelos minicarros dos anos sessenta, a segunda pelos monstros sagrados do final da década de 1920 e início da década de 1930.







Na disputa entre os anõezinhos, os Mini levaram a melhor. Os Fiat Abarth 1000 e NSU TT fizeram de tudo, mas nada puderam diante do desempenho dos pequenos ingleses. Estes não só eram os mais velozes em linha reta, mas entravam nas curvas do jeito que vinham, sem a menor inclinação da carroceria. Já os Abarth, e principalmente os NSU, exigiam um cuidado visivelmente maior em sua pilotagem, dando a sensação de que poderiam facilmente "perder" a traseira caso seus limites não fossem respeitados.


O grid era completado por automóveis como o Autobianchi A112 e o Fiat 127, além dos  menores entre os anõezinhos: os Fiat 500 e derivados, dentre os quais vários Steyr-Puch de fabricação austríaca.

Já entre os elefantes, impressionava a quantidade de Bentleys da época em que Woolf Barnato e os chamados Bentley Boys ditavam regra em Le Mans. Stanley Mann, um dos mais conhecidos marchands especializados em Bentleys clássicos da Inglaterra, trouxe várias dessas preciosidades a Nürburgring para participar do evento. A mais veloz era um special com carroceria de alumínio e motor de 4,5 litros ao qual o próprio Barnato deu o nome de Mother Gun, um autêntico canhão que demonstrou não ter rivais em matéria de velocidade pura.

Mas os Mercedes SSK não ficavam muito atrás, e ainda davam mostras de uma confiabilidade mecânica superior. O som de seus motores com compressor Roots sugeria a presença de uma engenharia bem mais sofisticada que a dos Bentley e Bugatti contemporâneos.

O grande trunfo da marca francesa era a agilidade e o peso relativamente baixo. A diferença de tamanho entre as voiturettes francesas e os portentosos automóveis de W.O. Bentley trazia à mente a famosa frase de Ettore Bugatti, que se referia a eles como "os caminhões mais velozes do mundo".




A prova dos elefantes teve como atrativo adicional a largada ao estilo Le Mans. Se os proprietários desses automóveis imensamente valiosos já precisam ter uma uma boa dose de desapego para colocá-los em uma pista de corridas, o que dirá com uma largada desse tipo? Confira na sequência de imagens abaixo.





Imagens: arquivo pessoal do autor. Reprodução permitida mediante atribuição a este blog

8 comentários:

Ron Groo disse...

Que evento mais adorável... Eu não me canso de ver fotos de carros antigos restaurados.

Anônimo disse...

.... mentirooooso ! Eu prefiro ver da Marylin Monroe, da Gina Lollobrigida, da Jayne Mansfield...

http://www.allcelebspics.com/wp-content/gallery/jayne-mansfield/Jayne%20Mansfield_1295188603685513.jpg

... da Vera Fischer, da Brigitte Bardot ! Tem a Rose de Primo e a Gretchen( mas esta é mais barra pesada...)também. A Aldine Müller ! Mas, como o Ô do Volante está num giro autoimobilístico pela Alemanha, fotos de Marlene Dietrich caíriam bem ! Agora, tô na maior dúvida. Acho que ele é um dos 4 que estão a cercar o pequenino veloz cor de abacate... Pode estar a passare de motinho também porque o fotógrafo tá de mal com ele, senhor Groo. Final de "viagem" sempre acontece isso. Brigas...





M.C.

Luís Augusto disse...

Paulo,

Absolutamente espetacular a sua crônica! Estou com muito vontade de ir a Nürburgring em uma próxima. Essa largada no estilo Le Mans é um colírio. Parabéns pela viagem e obrigado por compartilhar conosco.

Belair disse...

Que viagem,PL,que viagem!

Joel Gayeski disse...

Eu piro violentamente nesses Bentley Blowers e 4four-and-a-half-litre justamente por serem grandalhões e mesmo assim serem vencedores incontestáveis em Le Mans.
Obrigado pelos posts Paulo.

Francisco J.Pellegrino disse...

PL, esta largada é uma temeridade para os idosos...excelentes automóveis, grande abraço e depois irá nos contar pessoalmente esta epopéia automobilística...

Francisco J.Pellegrino disse...

Ah...os alemães estão sempre certos: FASZINATION !

Paulo Levi disse...

Obrigado, amigos - e abraços s todos.