quarta-feira, 16 de maio de 2012

Uma vitória boa pra Caracas

Ao receber a bandeirada no recente GP da Espanha, Pastor Maldonado tornou-se o primeiro piloto da Venezuela a vencer uma prova do Mundial de Fórmula 1. Um resultado mais do que merecido, coroando uma atuação irretocável do começo ao fim da corrida. Maldonado tem motivos de sobra para comemorar - e o povo venezuelano também.


Mas se essa vitória foi conquistada dentro da pista, suas implicações ultrapassam em muito as fronteiras do esporte. Como se sabe, Pastor Maldonado é um piloto patrocinado pela petroleira venezuelana PDVSA - uma empresa que se confunde com o próprio governo do presidente Hugo Chávez, e que portanto é um instrumento das políticas de estado daquele país. Não há surpresa alguma no fato de que as autoridades de Caracas queiram tirar o máximo proveito da vitória de um piloto da casa. Mas a maneira pela qual vêm fazendo isso merece ser examinada um pouco mais de perto. Como a mídia brasileira não tem demonstrado muito interesse pelo assunto, resolvi ir atrás da informação por conta própria.

Comecei pelo lugar mais óbvio: o portal da rede de TV estatal VTV. Reproduzo a seguir, em versão para o português, alguns dos trechos mais representativos das matérias que encontrei ali.
"A Venezuela é agora uma potência automobilística, e fizemos história. Assim se expressou Pastor Maldonado, em uma entrevista por telefone para o programa Dando y Dando da VTV, ao comentar seu triunfo logo depois de vencer o Grande Prémio da Espanha. 'Revolucionamos a Fórmula Um', disse'.


"(Maldonado) lembrou que em 2004, quase ninguém acreditava em seu profissionalismo e capacidade. 'Estou feliz porque a Venezuela confiou em mim. Obrigado pelo grande apoio da PDVSA e do presidente Chávez'.


"O Ministro do Poder Popular para o Esporte, Hector Rodriguez, foi um dos primeiros a se manifestar na rede Twitter diante da vitória de Maldonado: 'Viva @ Pastormaldo Campeão dando alegrias ao povo venezuelano ... Arriba Venezuela Carajo!', tuitou.


"O Ministro do Poder Popular para a Comunicação e a Informação também tuitou em sua conta @ IzarraDeVerdad: 'Pastor vence com o apoio da PDVSA, agora é a vez da Vinotinto' (N. do T.: apelido da seleção venezuelana de futebol).  O Circuito Radial PDVSA (N. do T.: rede de emissoras de rádio mantida pela estatal) também deu os parabéns ao piloto: Pastor Maldonado obteve o triunfo no GP da Espanha, trabalhadores do petróleo orgulhosos por este triunfo # MaldonadoOrgulloPatrio'.


"A Juventude do Partido Socialista Unido da Venezuela (PSUV) também expressou seu apoio: 'Acaba de tocar o Hino Nacional no Grande Prêmio da Catalunha. Obrigado ao nosso @ Pastormaldo pela sua perseverança. Juventud venezolana arriba!'

Como se vê, excetuando alguns arroubos de retórica provavelmente causados pela euforia do momento, é apenas uma versão um pouco mais crua do ufanismo que grassava por aqui nos tempos da ditadura militar, e que vez por outra ainda teima em botar a sua cabecinha para fora. Há ainda que se considerar que a VTV é uma emissora oficial do governo venezuelano, e que por isso mesmo precisa dar mostras de um mínimo de moderação em sua linha editorial.


Tal prurido parece não existir nos órgãos de comunicação da militância chavista, que analisam a vitória de Maldonado sob um enfoque bem mais pragmático. O jornal Ciudad CCS,  órgão oficial do partido governista PSUV (Partido Socialista Unido de Venezuela) e também da prefeitura de Caracas, traz uma matéria assinada pelo diretor de redação Ildegar Gil, que reproduzo abaixo praticamente na íntegra:

"Amplos, densos e volumosos setores da direita recalcitrante jamais saberão dar valor à façanha protagonizada na Espanha por Pastor Maldonado neste último domingo, 13 de maio (...) Uma atitude tão apátrida, sinceramente, não chega a ser notícia. Muitos deles são assim mesmo, e assim também morrerão: sem saber o que é a alegria. O que causa tristeza, e também uma certa angústia, é saber que dentro de nossa esquerda há mulheres e homens que se opõem a que o piloto de Maracay receba o apoio financeiro do país inteiro através da PDVSA.


"A Venezuela deve reverberar em todos os cenários, incluindo o do mundo automobilístico por mais elitista que seja. Por quê? Muito simples: temos que cacarejar em cada canto do universo que a Revolução Bolivariana é um fenômeno certo, tangível, verificável e constatável.


"O grãzinho de areia de Pastor, creiam, serviu para que os outros povos associem esse triunfo a tudo o que ouvem diariamente sobre nossas conquistas internas -  conquistas que, por serem tão localizadas e expostas à deturpação midiática, não são apreciadas em sua totalidade.


"Diante do assédio imperialista ao qual estamos submetidos com a complacência dos renegados internos, nossa obrigação enquanto Estado é acompanhar as mulheres e os homens que, graças às suas qualidades, podem fazer tremular nosso pavilhão tricolor e suas sete estrelas, exatamente como aconteceu no pódio".

A matéria do Ciudad CCS é emblemática, pois inscreve a Venezuela no registro dos governos autoritários que em algum momento de sua existência decidiram lançar mão do automobilismo para alcançar seus objetivos políticos. Desde os tempos de Hitler e Mussolini, o princípio é o mesmo: a vitória de um representante do país ajuda a melhorar a auto-estima de seus compatriotas, e isso se traduz em uma maior adesão às decisões de seus governantes. No caso específico dessa matéria, parecem existir na Venezuela alguns ingredientes adicionais: a desqualificação moral dos adversários políticos, o dedo em riste para os companheiros que ousam questionar as diretrizes governamentais, o zelo quase missionário para difundir as "conquistas da Revolução Bolivariana" mundo afora. E também, por que não dizer, uma generosa pitada de sentimento persecutório.

Como se vê, não se trata de uma questão de esquerda ou de direita, mas sim do uso político do esporte. Se alguém achar que cometi algum erro de tradução, ou que as matérias aqui citadas são fruto da imaginação de algum simpatizante do PIG, é só conferir nas fontes: Portal da rede VTV  (www.vtv.gov.ve) e Jornal Ciudad CCS (www.ciudadccs.info).

Todas as imagens provém das fontes citadas com a exceção da foto de Hugo Chávez com Pastor Maldonado, publicada originalmente no site do presidente venezuelano (www.chavez.org.ve)

6 comentários:

Francisco J.Pellegrino disse...

Eu não tenho mais saco para aguentar "comunosocialchatos", chega numa certa idade que os assuntos cansam a gente...."Comissão da Verdade" e outras balelas, por lá irá acontecer a mesma coisa futuramente...sinto pena do dinheiro do povo venezuelano sendo jogado fora e a população tendo falta de insumos básicos...dá pena, mas enfim o esforçado piloto venceu e devemos freconhecer com méritos...

Felipe Mortara disse...

Paulo, realmente a supervalorização do feito (louvável, sim) de Maldonado é um símbolo de como se pode associar um feito individual a uma ideia de prosperidade nacional. E mais, de um suposto lado positivo da consolidação de um projeto de poder. Oportunismo, sim. Mas por outro lado é preciso ponderar que Maldonado jamais estaria na F1 sem o empurrão de Chavez e da petroleira.

um abraço!
Felipe

Paulo Levi disse...

Maldonado é piloto - e piloto quer mais é correr, não importa de onde venham os recursos financeiros. É bem possível que o grande Juan Manuel Fangio não tivesse chegado à F1 sem o apoio financeiro do governo Perón. Mas cabe também destacar o feito de Emerson Fittipaldi, que foi para a Europa com a cara e a coragem e conseguiu um assento na equipe Lotus de F1. E isso numa época em que o Brasil era um país absolutamente periférico em matéria de automobilismo.

Luís Augusto disse...

Pra mim o que impressiona não é tanto a politização do fato, mas a linguagem quase infantil que a imprensa oficial venezuelana usa. Será que o povo engole?

Ron Groo disse...

eu nunca duvidei que isto aconteceria, nem tão pouco da força com que seria feito.
Isto é tipico do populismo e de governos de exceção.
Ou será que tem alguém no mundo que ainda duvide que, mesmo debilitado fisicamente, Chavez é um ditador?

Anônimo disse...

... HA ! Tem enorme diferença entre Itália, Alemanha e a Venezuela, não acham ? Os ditadores, no aterro sanitário da história, respectivamente: lixo, lixão( que incomoda até hoje. O simples fato de olhar um Volkswagen...) e... lixinho... Populismo de 5ª categoria desse Chavez. Perverso populismo. Povo que precisa racionar papel higiênico e nadando em petróleo. Povo ignorante. Anestesiado. Povo assim engole tudo ! Olhe para a gente, Luíz Augusto. Estamos mais preocupados com o Mengão, Santos, Corinthians e Fluminense, Feirão da Caixa própria ! ou com a inflação forte de volta ? Juros baixos... JUROS SÃO JUROS ! Copa do Mundo, Olimpíadas, Cavendish, Cachoeira, Lalau 1500, gangue dos Smurffs... Mensalão... Quantos presos ? Violência aumentando... estão agora, atirando a qualquer hora do dia, da tarde da noite. Impunidade é geral. Em Sampa e no Rio ! Tá pensando que é em Garanhuns ? Estado Paquidérmico = Corrupção crescente. Mais certo do que 2 + 2 = 4. Se é assim no Brasil não será na Venezuela, na Argentina, na Peru, na Bolívia ? URSS era. Cuba, dizem, o tal do Fiel tem fortuna... Forbes. Prefiro confiar nos americanos aos esquerdas. Parece que Obama vai sifú... e nem esquerda é ! Mas para eles, conservadores que são. Nós também ! Mas somos bem mais enrolados ! Derrame de dólares falsos, sabe de onde vem ? Do mesmo país de onde vem o sócio(?) do Cachoeira: da comunista Coréia do Norte. Em comum com estes países ? povo ignorante( letrados alguns. Argentina tem fama de ter uma livraria a cada esquina !) e anestesiados ! Jornalismo de 6ª categoria todos eles tem. De uma olhadela nos nossos jornais. TV, Rádio, escrita e Internet. Puxassaquismo enlouquecedor ! O microfone na boca do pobre e/ou violentado, sempre. Dos poderosos... Aí, em São Paulo. O GRAAANDE acidente na linha do metrô. Pensei ter entrado um por dentro do outro ! Os poderosos microfones foram parar na boca de quem ? Jornalismo de 6ª categoria ? 10ª categoria ! Aí, fica fácil fazer do sumido Nenmar, ontem, cracasso de bola ! Melhor que Pelé, Maradona, Messi, Rivelino, Cruiff, juntos ! Povão aceita tudo. Futebol então... Molinho. Não entende nada. Raciocinam por ele. aliás, pela gente. Botam idéias na cabeça da gente. E a gente aceita. Como cordeirinhos. Por isso eu digo. VIVA A INTERNET ! VIVA O ANONIMATO !OBS: Gostei da resposta dos rackers a mais uma sacanagem imposta por artistas de mentirinha - que não usam a arte para protestar e sim para enriquecer e enriquecer ! Picasso era riquíssimo mas uma só olhadela em Guernica, assusta ! E quando ele fez, o rsico era total para o espanhol -, tvs compradas e polícia metidinha a esperta. Era um ataque a Internet. Ninguém aceitou a empulhação. Vida inteligente corre por aqui... Só que na Venezuela aceitam o maldanado com um Jesus veloz. Internet - e tudo mais - é controlada pelo estadãoZINHO de Chaveco, o ditadorZINHO de 1/4 de tigela.



M.C.