sexta-feira, 16 de dezembro de 2011

João Andante e o Ferrari de Montezuma

Está nos jornais de hoje. E também no rádio, na TV, na internet e em praticamente todos os meios de comunicação: a Diageo, uma das maiores empresas de bebidas no mundo, entrou com um processo no INPI (Instituto Nacional de Propriedade Industrial) contra quatro jovens empreendedores mineiros, a quem acusa de plagiar a marca Johnnie Walker no rótulo da cachaça que produzem de forma quase artesanal. À qual, de forma muito bem-humorada, deram o nome  de João Andante. Confira abaixo as respectivas embalagens e tire suas próprias conclusões.


A minha conclusão é a seguinte: a Diageo perdeu uma boa oportunidade para não fazer nada. O nome da cachaça, e a figura do personagem em seu rótulo, são obviamente uma brincadeira sem o menor potencial para causar prejuízos à imagem do Johnnie Walker, muito menos às suas vendas. Esse é um exemplo típico da falta de senso do ridículo por parte de certas empresas, que vêem fantasmas por toda parte a ameaçar os sacrossantos direitos de suas marcas.

Mas porque falar em whisky e cachaça se este é um blog sobre automóveis? É que a notícia me fez lembrar de um caso semelhante ocorrido há alguns anos nos EUA, envolvendo a Ferrari e o escritor Burt "BS" Levy, autor de uma série de obras de ficção ambientadas no automobilismo esportivo das décadas de 1950 e 1960.

Em 1999, Levy publicou um romance com o título de Montezuma's Ferrari, baseado no épico duelo entre a marca italiana e a Mercedes-Benz na Carrera Panamericana de 1952.

Não demorou muito para que a Ferrari colocasse seu jurídico em campo. Segundo os advogados da empresa, o problema estava na capa do livro, onde há uma espécie de paródia visual do logotipo da Ferrari em que o Cavallino era substituido por pimentas mexicanas dispostas em um arranjo, digamos, "rampante". Tudo dentro do mais puro espírito de humor, exatamente como no nome e no rótulo da cachaça dos quatro mineiros.


Burt Levy preferiu não polemizar. Em vez disso, publicou em seu site um fax recebido dos advogados da Ferrari, onde apesar do tom ameno há uma clara ameaça nas entrelinhas.


Traduzindo:
Prezado Bert (sic)


ASSUNTO: USO NÃO-AUTORIZADO DE MARCA COMERCIAL SIMILAR À DA FERRARI EM FOLHETOS, CAMISETAS E CAPAS DE LIVROS


Foi um prazer conhecê-lo e ouvir seu relato no GP dos Estados Unidos deste ano.


Entretanto, como você poderia prever, causa-nos inquietação o uso das pimentas de forma similar à do cavalinho empinado, e portanto devemos solicitar que mude tudo isso o quanto antes.


Efetivamente, meu entendimento durante a nossa conversa foi o de que seus advogados possivelmente o alertaram de que assumiriamos esta posição, e portanto imagino que este fax não lhe cause grande surpresa.


Ficaria muito grato se você tomasse as providências para resolver a questão com a máxima urgência, e fico no aguardo de sua confirmação em tempo hábil de que este assunto está sendo encaminhado da maneira devida.

Levada a público essa correspondência, ficou patente o ridículo da posição da Ferrari - sem que Levy tivesse que escrever uma só palavra a respeito. Alguns anos mais tarde (não é só no Brasil que as justiça caminha lentamente...), saíu o registro do logotipo das pimentinhas rampantes em nome do escritor.

Não sei no que vai dar a briga Diageo versus João Andante, mas ao que tudo indica a fabricante do Johnnie Walker está disposta a ir até as últimas consequências. Também não sei se a João Andante tem um site - procurei, mas não encontrei. E apesar de não ser advogado - ou talvez por isso mesmo - deixo aqui uma sugestão para os quatro jovens empreendedores mineiros: usem a receita de Burt Levy para dar visibilidade aos argumentos da Diageo contra a marca que vocês criaram. Às vezes, a exposição pública do ridículo é o remédio mais eficaz contra os surtos de onipotência das corporações.

Imagens: divulgação, em portal Folha.com (embalagens João Andante e Johnnie Walker); http://www.lastopenroad.com (reprodução capa de livro/reprodução fax para Burt Levy)

11 comentários:

JT disse...

Caro Levi,

Pela ótica das grandes corporações, penso que os herdeiros de Alexandre - O Grande, deveriam processar todos os imperadores romanos por cunhar moedas com seus perfis, devido à semelhança das logomarcas.

Abraços,
Jean

Francisco J.Pellegrino disse...

Advogados, sempre eles.... lembra outro dia o que a Volkswagen fez com o Blog do irmão do Decio, tudo por causa de alguns criativos desenhos feitos a partir de carros já fora de linha....depois pensaram bem e se retrataram.

Joel Gayeski disse...

Se caso o pessoal da Diageo continuar com essa palhaçada, tenho uma sugestão de onde eles podem introduzir uma garrafa de JW.
Engraçado como há advogados chatos. Há uns 2 anos terminei o namoro com uma menina cuja irmã que era adv. me ameaçou de processar por calúnia e difamação...

Paulo Levi disse...

Jean, se os advogados dos herdeiros do macedônio lerem o seu comentário, nenhum país do mundo poderá cunhar moedas com cara - só com coroa.

Paulo Levi disse...

Chico, o nível de estupidez é o mesmo nos dois casos. Nada contra os advogados, mas até parece que são eles que dão as cartas nessas empresas e não os respectivos presidentes, muito menos seus diretores de marketing e relações públicas. Espero que, como no caso da Volkswagen, a Diageo se dê conta da besteira que fez e venha a público se retratar.

Paulo Levi disse...

Joel, me desculpe mas dei boas risadas com essa história da sua ex-futura cunhada. Que perigo você correu, hein? Pelo jeito, essa turma se forma na faculdade e já quer treinar o que aprendeu com o primeiro incauto que estiver por perto.

Joel Gayeski disse...

Paulo, era justamente essa a intenção.
Lembro de ter debochado muito à época.

Ron Groo disse...

Eu particularmente prefiro a cachaça. Wisky é amargo...

Irapuã disse...

A semelhança entre os dois produtos e o direcionamento dado por esse departamento jurídico fica clara na direção para onde os personagens dos rótulos se dirigem: em sentidos opostos.

Anônimo disse...

www.joaoandante.com.br

Paulo Levi disse...

Anônimo de 2/01 às 12:50, obrigado pela atualização. Entrou no ar em boa hora o site do nosso andante das Gerais!