segunda-feira, 12 de setembro de 2011

Dia de CanAm em Elkhart Lake


Domingo foi dia de cachorro grande em Elkhart Lake. Mas também tinha cachorro médio na parada: dos doze carros que alinharam para essa prova - a mais esperada do Vintage Festival - apenas cinco eram CanAms clássicos equipados com os motores V8 big block. O restante do grid era formado pelos Lotus 23 e Elvas que corriam no campeonato USRC, categoria precursora da CanAm. Havia até um Porsche 910 meio fora desses contextos, mas perfeitamente dentro do espírito do Vintage Festival.

Como era de se prever, os carros maiores dominaram a corrida do começo ao fim. O vencedor foi um modelo que nunca cumpriu o seu potencial nos tempos áureos da CanAm, mas que hoje - resolvidos os seus problemas de confiabilidade  - colocava pelo menos três segundos por volta nos seus concorrentes mais próximos. Este carro é o McLaren-Ford de Dan Gurney, um dos poucos da categoria a não usarem motor Chevrolet.




Em segundo lugar chegou o McKee-Chevrolet, à frente dos dois McLaren-Chevrolets que teoricamente tinham bem mais chances do que ele. Bob McKee, presente à premiação, era só sorrisos pelo ótimo desempenho do automóvel que construiu há exatos 45 anos.



Abaixo, mais imagens dos automóveis que participaram dessa corrida:

O McLaren M6-B, terceiro colocado na prova
O Lola T70 MkIII largou bem mas não completou a prova
Carro mais "moderno" da prova, o McLaren M8E foi quarto
Porsche 910: com toda essa pinta, nem precisa ser veloz
Elva-Porsche, o Elva mais bem colocado na prova
Imagens: arquivo pessoal do autor. Reprodução permitida mediante atribuição a este blog


Agradecimento especial a Pam Shatraw, assessora de comunicação do evento, pelo apoio prestado na realização desta cobertura

3 comentários:

Belair disse...

Belas fotos Mr.L. E o tempo ajudou,com o sol comparecendo na medida para ver essas belezuras.Estou aqui so' imaginando a cacofonia de roncos que se ouviu.

Francisco J.Pellegrino disse...

Tô igual o Belair "imaginando" o ronco dos V8s....lindos carros e o Porschinho no meio das feras....

Paulo Levi disse...

O ronco impressiona mesmo, mas menos do que nas provas para Mustangs, Camaros e outros pony cars. É que nestas há muito mais carros na pista, e aí o estrondo é realmente indescritível.