quinta-feira, 28 de julho de 2011

Honda, a essência de uma marca

Você liga a TV e lá está ela, a campanha-manifesto. É aquele tipo de comunicação em que uma empresa se esforça para convencer o espectador que tudo o que ela faz é essencial para o seu bem estar e o de toda a humanidade. Geralmente, as campanhas desse tipo podem ser identificadas pelas imagens de pessoas felizes e autoconfiantes, e pela locução em que uma voz masculina, num tom entre o narcotizado e o messiânico, desfia pequenas banalidades como se fossem pérolas de sabedoria.

De certa forma, as peças publicitárias focalizadas neste post também fazem parte de uma campanha-manifesto. Mas essa é uma campanha que foge completamente ao formato padrão da modalidade. Nela, não há lugar para imagens estereotipadas, nem para textos ocos e presunçosos. Em vez disso, o que transparece é uma profunda compreensão sobre a essência da marca do anunciante. Que, neste caso, é a Honda.


Para transmitir essa essência ao consumidor, apenas algumas linhas de texto, extraídas praticamente ipsis literis de um depoimento de Soichiro Honda à antiga revista Life, e ancoradas por uma imagem exemplar em sua simplicidade e poder de síntese.

Vertido para o português, o texto fica assim:
Você acredita no poder dos sonhos? Quando Soichiro Honda tinha oito anos de idade, viu um automóvel pela primeira vez em sua vida. Era uma das primeiras edições do Ford Modelo T. Soichiro não se conteve e saiu correndo atrás do carro. "Ele vazava óleo", relembraria ele depois, " e eu me ajoelhei no chão para cheirá-lo. Era como se fosse perfume".
Com esse anúncio, criado em 2005 pela Wieden+Kennedy de Londres, a Honda começou a mudar a percepção de ser apenas uma fabricante de automóveis a mais, sem nada que a distinguisse de suas concorrentes no mercado britânico. Outros anúncios igualmente brilhantes vieram se somar a este no resgate da imagem da montadora, permitindo que atingisse rapidamente os seus objetivos e rendendo vários (e merecidos) prêmios à agência.

Talvez a peça mais espetacular de toda essa campanha seja o comercial de TV que pode ser visto no vídeo abaixo. Ele comunica sem palavras (exceto as da trilha musical, brilhante na aparente incongruência de sua escolha) uma poderosa mensagem institucional sobre a Honda, passando por sua evolução ao longo do tempo, suas diversas áreas de atuação, e principalmente a imaginação que há por trás de suas realizações. Vale à pena conferir.  

8 comentários:

Joel Gayeski disse...

Mais um post genial, Paulo.
Esse anúncio além de tratar da simplesmente da marca, ainda evoca a figura do fundador.
Nunca tinha visto esse vídeo, isso de falar dos sonhos, de fazer a gente ter vontade de ter um produto top é digna dos reclames da Porsche.

Francisco J.Pellegrino disse...

Acompanho o Joel, muito feliz este teu post...realmente Honda é tudo de bom....

Michel Freidenson disse...

Emocionante Paulo ! A sua preparação do contexto ( ambiente, mercado & criação ) é sensacional. Maravilha !!

Luís Augusto disse...

Concordo com os amigos acima; não tem post mais ou menos por aqui!
Sobre a publicidade da Honda, gostei mais do texto do que do filme, achei meio óbvio demais. Fora isso, é uma marca apaixonante.

Ron Groo disse...

Poesia...

Eu vejo a Honda como aquela fábrica que não faz um carro para durar um ano e sim uma vida.

Paulo Levi disse...

Caros, fico feliz que vocês tenham gostado de ler esse post. Eu também gostei de escrevê-lo.

Paulo Levi disse...

Michel,
Vindo de você, um artista acostumado a emocionar o público com a sua música, o adjetivo "emocionante" ganha um significado muito especial. Obrigado!

Michel Freidenson disse...

Muito Obrigado Paulo !! Dá vontade de continuar a ler quando acaba...fica a tão rara ( principalmente nos dias de hoje ) sensação de quero mais ! Quem sabe um dia, um livro ?
Grande Abraço !
Michel