quarta-feira, 27 de outubro de 2010

Tudo o que começa bem...

Se ordem cronológica fosse lei, este post deveria ter vindo lá no começo da série sobre a Autoclásica 2010. Mas como as normas da etiqueta permitem que os agradecimentos sejam feitos no final, aqui está ele.

Na noite em que cheguei a Buenos Aires, fui jantar num pequeno restaurante próximo ao hotel. Enquanto esperava o meu pedido, notei que na mesa ao lado havia dois casais na faixa dos sessenta e pico. Como muitas vezes acontece nessas ocasiões, as esposas confabulavam entre elas enquanto os maridos faziam o mesmo entre eles.

E do que falavam os senhores? Isso mesmo, automóveis. Animadamente, e com grande conhecimento de causa. Entendi imediatamente que estava na presença de dois tuercas, palavra da giria argentina que designa os aficionados por automóveis e por tudo o que tem a ver com o assunto.

Não tenho o hábito de bisbilhotar a conversa alheia, mas era impossível resistir. Assim, me apresentei na cara dura e passei a participar da conversa.

Foi uma delícia - eu poderia ter ficado falando de fierros com os dois entusiastas portenhos por horas a fio.

Um dos carros sobre os quais falamos foi o Valiant, com seu peculiar câmbio automático comandado por teclas no painel. No dia seguinte, lá estava um exemplar desse modelo da Chrysler argentina exposto na Autoclásica.


E na hora da despedida, sabendo do motivo da minha visita à Argentina, um dos meus novos amigos, Miguel Graciarena, me surpreendeu ao puxar do bolso um convite de cortesia para a Autoclásica e  oferecê-lo a mim. Eu ainda não sabia, mas Graciarena é um sócio muito ativo da entidade organizadora do evento, o Club de Automóviles Clásicos de la República Argentina, além de participante assíduo de competições para carros clássicos com o seu Peugeot 404.

A Don Miguel Graciarena e a seu amigo, Don Enrique Livraghi, o meu muito obrigado por me colocarem no clima da Autoclásica 2010 logo na minha chegada a Buenos Aires. Com um bom começo assim, o evento só poderia ter sido - como de fato foi - uma experiência inesquecível.

2 comentários:

Ron Groo disse...

É sempre um belo gesto o agradecimento. Também nós deveriamos agradecer por poder ver aqui as fotos do evento, Valeu Paulo!

Francisco J.Pellegrino disse...

Bisbilhoteiro....gente fina ! nossas diferenças são apenas no campo esportivo, os hermanos tem muito a nos ensinar...