sábado, 23 de outubro de 2010

Brasileiros na Autoclásica 2010

Do total de 48 mil visitantes à Autoclásica deste ano, é impossível saber ao certo quantos eram brasileiros. Mas pelo tanto de português que se ouvia falar em San Isidro, a todo momento e em qualquer lugar, eu me arriscaria a dizer que o número foi dos mais expressivos.

Alguns dos brasileiros presentes à mostra não estavam lá apenas como visitantes, mas sim como participantes efetivos. Era o caso de um pequeno grupo de colecionadores catarinenses do município de Chapecó, ao qual os organizadores destinaram um espaço privilegiado bem em frente ao stand da Alfa Romeo. Seus integrantes, que vieram rodando até a Argentina, não enfrentaram nenhum problema no caminho a não ser um parabrisa quebrado (o do Gordini que se pode entrever na foto) e um certo excesso de zelo por parte de alguns policiais rodoviários da província de Entre Rios.


Outro automóvel que veio rodando do Brasil para participar da Autoclásica 2010 foi um Ford Roadster 1932 com placas de Campinas. Estava exposto em companhia de seus hermanitos argentinos na ala do Club Ford V8 local.


Por fim, cabe registrar a presença de um SP2 com placas argentinas, exposto na ala de um clube de aficionados dos modelos refrigerados a ar da VW.

4 comentários:

Mauricio Morais disse...

É nessas horas que dá orgulho de ser brasileiro.

Ron Groo disse...

Poxa, e do Corcel cê não vai falar nada? Eu tô vendo ali na foto a frente do carro mais lindo do mundo.
Tem alguma foto dele sozinho?

Paulo Levi disse...

Maurício, foi mesmo muito bacana ver essa turma por lá. Confesso que deu vontade de botar o meu Chevette velho de guerra na estrada e tocar pra San Isidro!

Paulo Levi disse...

Ron,
Nem precisa falar do Corcel GT 73, um carro que dispensa apresentações. Mas pelo que eu pude observar, desses carros brasileiros o que mais chamou a atenção por lá foi a picape Chevrolet Brasil.