quarta-feira, 28 de abril de 2010

Uma perua ligadona - mas só em Mercedes

Não fosse o fato de não estar pintada de preto, essa estranha perua Mercedes faria pensar em alguma modalidade de transporte um tanto, digamos, lúgubre.


Mas não é nada disso: basta olhar mais de perto para ver que, na parte dianteira do teto, há um chicote de cabos elétricos passando por uma abertura próxima ao parabrisa.


Explica-se: esse veículo, conhecido como Messwagen, vem a ser um precursor da telemetria aplicada à engenharia automotiva.


Construido em 1960, o Messwagen foi criado para transportar a voluminosa parafernália eletrônica que representava o state of the art nos tempos em que um laptop seria considerado obra de ficção científica. Os cabos que saíam pelo teto possibilitavam o tráfego de dados entre o Messwagen e o modelo em testes, como se ambos estivessem ligados por um cordão umbilical. Se alguém ousasse falar que havia sonhado com coisas como bluetooth e infravermelho, seria imediatamente internado em um hospício.

Para construir o Messwagen, os técnicos da Mercedes não recorreram a nenhuma perua já existente, até porque naquela época a Mercedes ainda não fabricava peruas. A base foi o já vetusto sedã 300 S, também conhecido como "Adenauer" em homenagem ao então chanceler da República Federal Alemã, o igualmente vetusto Konrad Adenauer. O 300 S foi escolhido por seu porte avantajado e chassi superdimensionado, e também por ter um motor com potência suficiente para tracionar o peso do equipamento a bordo.

      O Mercedes 300 S "Adenauer", que serviu de base ao Messwagen

O trabalho de medição era feito assim: um engenheiro dirigia o Messwagen enquanto outro ia na parte de trás, operando o equipamento. O carro em testes seguia na frente com um terceiro engenheiro ao seu volante. Apesar de suas limitações o sistema funcionava bastante bem - a situação mais crítica eram as medições de frenagem, quando não era incomum que os cabos se desconectassem.


Depois de muitos anos correndo atrás de tudo quanto é tipo de Mercedes nas pistas de testes da companhia, o veterano Messwagen finalmente cedeu o lugar a tecnologias mais modernas. Hoje impecavelmente restaurado, esse veículo singular (literalmente, já que apenas um exemplar foi construido) é uma das peças mais fascinantes do Mercedes Benz Museum em Stuttgart.

Imagens: arquivo pessoal do autor; site Mercedes Benz Museum (foto pista de testes).

2 comentários:

Anônimo disse...

lo que yo queria, gracias

Paulo Levi disse...

Hola amigo,
Me alegro que te haya gustado!