quarta-feira, 20 de janeiro de 2010

Fusca, o inesquecível

Devo ao radialista Marcelo Abud, do ótimo blog especializado em rádio Peças Raras , a lembrança de que hoje, 20 de janeiro, é o Dia Nacional do Fusca. Não sou nenhum fuscamaníaco - se fosse, já teria acordado batendo palmas e soltando rojões - mas reconheço a enorme importância do Fusca na história do automóvel, e acredito piamente que ele foi injustiçado por ter ficado atrás do Ford Modelo T, do Mini e do Citroën DS 19 na eleição para Car of the Century (COTC), realizada por um painel internacional de jornalistas especializados em 1999.

Se o Fusca teve um papel assim tão importante, sua comunicação não ficou atrás. A campanha de lançamento do Volkswagen Sedan (para usar o nome oficial do modelo) nos EUA, feita pela agência DDB, colocou de pernas para o ar todas as regras vigentes na década de 50, quando o que prevalecia na propaganda de automóveis era o apelo ao status dentro da lógica do "quanto maior, melhor". No Brasil, as primeiras campanhas do Fusca feitas nos anos 60 pela Almap também revolucionaram a comunicação da categoria.

Se no início a questão era romper paradigmas, com o tempo a propaganda do Fusca passou a trabalhar mais a relação de afeto entre as pessoas e o automóvel. Nessa linha, poucas peças se igualam ao comercial veiculado pela VW do México para marcar o fim da produção do Fusca (ou Vocho, como se diz por lá) naquele país. É um filme emocional, talvez até um pouco melodramático demais para os padrões brasileiros, mas tremendamente eficaz e bem feito. Pegue uma caixa de lenços de papel e assista o vídeo:




Imagem: www.fuscabrasil.net

2 comentários:

A Paris... disse...

Caro Paulo Levi,
O Dia Nacional do Fusca (http://www.maxicar.com.br/old/gromow/8567colunista_gromow_0110.asp) foi o ponto de partida para o Dia Mundial do Fusca (http://www.fuscabrasil.net/wwbd/Beetle-Day.htm); sem esquecer que também foi o canal para o Dia Municipal do Fusca em São Paulo, com Decreto Lei e tudo mais (http://www.fuscabrasil.net/entrevista/P01_F.htm).
Você enfoca aqui a propaganda "melodramática" a seu ver da despedida do Vocho no Mexico. Pode ser que ela seja de fundo sentimental mexicano, mas ao menos foi respeitosa. Muito diferente do que a ALMAP BBDO, então contando com meu amigo Alex Periscinto, fez na saída do Fusca em 1986 (http://www.gromow.com/FTP/Foto_19a.jpg) A VW do Brasil cuspiu no prato que a alimentou e na verdade a criou! O pior é que eles voltaram a repetir a dose na despedida do motor VW Boxer refrigerado a ar que equipava as Kombis até 23/12/2005 (http://www.gromow.com/vwengine/Boxer-POR.htm).
Particularmente prefiro o melodrama a este brutal desrespeito...
saudações
Alexander Gromow

Paulo Levi disse...

Alexander, obrigado pela visita e pelos esclarecimentos. Eu já sabia que você foi o grande responsável pela instituição dessa data comemorativa no Brasil, mas não conhecia os bastidores da história nem a relação com o Dia Mundial do Fusca.

Quando à propaganda, acho que o anúncio de despedida brasileiro aborda a questão de modo muito racional, como se naquele momento o fabricante não desejasse reestimular os sentimentos do público brasileiro em relação ao Fusca. Pela cara de briefing do anúncio, dá para perceber que anunciante e agência estavam pisando em ovos. Mesmo sem achar desrespeitoso, entendo perfeitamente a sua colocação e concordo que um pouco de emoção nessa hora não teria feito mal nenhum.